Projeto Retratos Contemporâneos realiza encontros em Belém

Olhar a sociedade através de seus rostos. Na multiplicidade da selfie digital, qual é o lugar do retrato na pintura contemporânea? Essa visibilidade diferenciada que o retrato pictórico proporciona é um dos temas do projeto “Retratos Contemporâneos”, criado pelo artista visual Éder Oliveira e contemplado pelo Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais, do Ministério da Cultura. As ações se iniciam no dia 08 de novembro, às 19hs, com uma roda de conversa entre ele e os artistas Armando Sobral (PA), Ernesto Bonato (SP) e Fábio Baroli (MG), com mediação de Marisa Mokarzel. Na mesma semana também haverá a realização de workshops com os convidados. As ações, que serão gratuitas, contarão com intérprete simultâneo de LIBRAS e ocorrerão no Centro Cultural Sesc Boulevard. Todas as informações e a programação completa podem ser encontradas no site www.ederoliveira.net/retratoscontemporaneos.

Bem antes da enorme quantidade de imagens produzidas no século XXI, ser retratado era um privilégio dos poucos e ricos que podiam pagar pelo serviço de um pintor. Era, então, uma outra dinâmica de representação de si e servia para diferenciar classes sociais. Já hoje, com o celular na mão, o retrato tornou-se o tipo de representação mais produzido (e reproduzido).

Belém será palco de encontros entre o público e quatro artistas que trabalham o retrato na pintura contemporânea. Armando Sobral e Ernesto Bonato tem aproximações com as técnicas dos grandes mestres e são alguns dos principais nomes da xilogravura do país. Já Éder Oliveira e Fábio Baroli tem trabalhos que abordam temáticas sociais. Oliveira usa a fotografia como ponto de partida para a realização de suas obras, seus retratados estão constantemente nas páginas policiais da capital paraense. A partir da foto é que ele dá início a um processo de representação, não só do indivíduo, mas também da sociedade. Baroli também trabalha com a realidade, um flagrante no cotidiano. Como uma colagem de imagens, ele questiona a própria tradição da pintura em suas obras.


Descentralização do debate

O projeto “Retratos Contemporâneos” tem o objetivo principal de propiciar a troca de saberes, poéticas e técnicas entre artistas de diferentes estados (PA, MG e SP) e a comunidade.

A roda de conversa será a oportunidade de motivar o debate, o diálogo e intercâmbio de experiências entre o público presente e os artistas convidados, pois o cenário cultural contemporâneo sujeita o artista à exigências e desafios cada vez maiores bem como à necessidade de uma renovação constante dentro da paisagem cultural brasileira.

Já as Práticas Abertas funcionarão como workshops. Durante quatro dias o espaço será um atelier coletivo. A cada dia um artista irá mostrar para o público suas experiências e sua forma de produzir, abordando seus processos criativos e as técnicas envolvidas em suas produções de retratos. Para essa ação haverá a necessidade de inscrição (gratuita e online) para seleção dos participantes. Elas serão realizadas através do link http://migre.me/vcLR3 no período de 17 de outubro a 02 de novembro.

Além disso, os artistas convidados do projeto participarão de vivências através de visitas a ateliers de Belém, tudo, segundo Éder Oliveira, com o intuito de “potencializar o intercâmbio e compartilhamento das pesquisas, poéticas, reflexões e desafios que acompanham seus trabalhos”.


Confira a programação:

Conversa: O Retrato Contemporâneo

Os artistas Armando Sobral (PA), Éder Oliveira (PA), Ernesto Bonato (SP) e Fábio Baroli (MG) conversarão com o público a respeito da produção contemporânea de retratos pictóricos nas artes visuais, a partir de seus trabalhos, pesquisas e poéticas. Mediação da curadora Marisa Mokarzel.

08/11 (terça-feira), das 19 às 20h.


Práticas Abertas

Nas Práticas Abertas, diariamente um artista mostrará ao público parte de seu fazer no âmbito do retrato e da figura humana. A metodologia poderá variar entre a exposição do processo criativo ou mesmo pela demonstração prática com cada artista, em um ambiente propício para a experimentação e a troca de experiências.

09/11, de 09 às 12h, com Armando Sobral

10/11, de 09 às 12h, com Fábio Baroli

11/11, de 09 às 12h, com Éder Oliveira

12/11, de 09 às 12h, com Ernesto Bonato

*Todas as ações serão realizadas no Centro Cultural Sesc Boulevard.


OS ARTISTAS

Armando Sobral trabalha e vive entre Belém e Brasília. Artista Plástico graduado pela Fundação Armando Álvares Penteado. Cofundador do Atelier Piratininga, em São Paulo. Foi professor da Universidade Federal do Pará entre os anos de 2003 e 2005. Coordenou o atelier de gravura da Fundação Curro Velho, em Belém, entre os anos de 2001 e 2006. Fundou o Atelier do Porto, também em Belém, em 2008. Vem prestando assessorias para instituições culturais do Estado na área de políticas públicas.

Éder Oliveira trabalha e vive em Belém. Nascido em Timboteua, região do Salgado paraense. Licenciado em Educação Artística - Artes Plásticas pela Universidade Federal do Pará. Pintor por ofício, desde 2004 desenvolve trabalhos relacionando retratos e identidade, tendo como objeto principal o homem amazônico. Com esse tema, participou de diversas exposições individuais e coletivas. Recebeu prêmios como Lingen Art Prize (Alemanha, 2016), Bolsa Funarte de Produção em Artes Visuais (Brasil, 2015) e 2º Grande Prêmio do Salão Arte Pará (2007).

Ernesto Bonato é de São Paulo. Gravador, fotógrafo, pintor e curador. Graduado e Mestre em Artes Plásticas pela Universidade de São Paulo. Teve trabalhos apresentados em mais de 190 exposições individuais e coletivas no Brasil e outros 28 países. Participou da criação do serviço educativo do MASP em 1997. Foi professor em instituições como FAAP e Centro Universitário SENAC. É cofundador do Atelier Piratininga (SP). Desde 2009 passou a dedicar-se a pintura, sobretudo o retrato. Atualmente mora e trabalha em Campinas.

Fábio Baroli vive e trabalha em Uberaba (MG). É formado em Artes Visuais pela Universidade de Brasília. Utiliza a linguagem da pintura como suporte para desenvolver sua poética, que lida com os conceitos da apropriação, do erotismo e questionamentos sobre o regionalismo e o imaginário infantil. Recebeu prêmios como o 1º Prêmio Espaço Piloto de Arte Contemporânea (2009), o 9º Salão de Artes Visuais de Guarulhos (2009) e o Prêmio Aquisição do 28° Salão Arte Pará. Possui obras no acervo do Museu Nacional de Brasília, Fundação Romulo Maiorana, Museu de Arte do Rio, entre outras instituições.


SERVIÇO:

Projeto Retratos Contemporâneos realiza encontros em Belém. No site www.ederoliveira.net/retratoscontemporaneos está disponível a programação completa. Programação gratuita e acessibilidade para Libras. Local: Centro Cultural Sesc Boulevard (Av. Boulevard Castilho França, 522/523 - em frente à Estação das Docas). O projeto foi contemplado pelo Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais, do Ministério da Cultura. Contato: (91) 99254-2347; debbrabelo@gmail.com (ASCOM).

Using Format